Home / Curiosidades do Mundo / Você sabe o que vive escondido em suas unhas?vai te chocar

Você sabe o que vive escondido em suas unhas?vai te chocar


Você provavelmente sabe que a lavagem das mãos é um dos melhores meios de prevenir a propagação de germes. Em muitos lugares, as leis de saúde pública estão no local para garantir que aqueles na indústria de serviços de alimentação mantenham as mãos limpas. Por outro lado, nenhuma quantidade de lavagem pode jamais livrar suas mãos de todas as suas bactérias.

É impossível esteriliza-las é por isso que os médicos e enfermeiras muitas vezes usa luvas ao interagir com os pacientes. Na verdade, quase uma centena de anos atrás, os médicos começaram a perceber que as bactérias sempre aparecem em testes, mesmo após várias lavagens. Mas  foi no início dos anos 1970 que os pesquisadores começaram a identificar o motivo das bactérias, que vivem na mão, serem tão persistente.

Descobriu-se que cobrir as pontas dos dedos poderia manter as mãos limpas por mais tempo. Embora não seja a ponta dos dedos o problema, mas as unhas. Estes escudos de queratina finas, feitas do mesmo material dos cifres dos rinocerontes, abrigam uma fauna bacteriana.

(Crédito: Getty Images)

A pesquisa mostrou que unhas postiças “unhas polonês” podem abrigar mais germes do que as naturais (Crédito: Getty Images)

Foi no final de 1980 que os cientistas começaram a pesquisar ao redor e sob as unhas para ver o quê, exatamente, vive por lá. Em  1988 estudo , um trio de pesquisadores da Universidade do Departamento de Dermatologia da Pensilvânia observava as mãos de 26 voluntários adultos, todos os funcionários da escola de medicina da universidade que não interagiam  com os pacientes.

Eles descobriram que o espaço sob as unhas, também chamada de região subungueal (cantinho da unha), era “um local perigoso” por abrigar bactérias. Comparado com outras partes das mãos dos voluntários e que é o  lar de centenas de milhares de bactérias.Embora as áreas subungueal rendeu centenas de milhares de bactérias por dedo. As unhas nutria os mesmos tipos de bactérias do resto da mão inteira.

Esse espaço que chamamos de unhas é completamente impermeável aos melhores meios, e é mais complicado de prevenir a propagação de doenças na maioria por o ser humano ser muito relaxado e não tomar as medidas corretas para prevenir.

Os investigadores observaram que por ter um espaço entre a pele “aquele que você gosta de roer”  a unha cria um ambiente ideal para o crescimento e proliferação dessas formas de vida , graças a ambas a proteções ,física oferecida pela unha e a  humidade. As descobertas feitas em estudos  anteriores diz que:esfregar persistentimente as mãos não as esterilizas ,  com a conclusão de seu estudo “que há um número significativo de bactérias no compartimento subungueal sugerem  que esta região da mão pode ser relativamente inacessível aos agentes antimicrobianos durante uma lavada de  mão normais -washing procedimentos “, escreveram eles.

Pense nisso: o espaço sob as unhas é completamente impermeável ao melhor e mais simples combatente das bactérias o sabão , então significa que temos de prevenir a propagação de doenças a pergunta é como?

Na verdade, uma pequena, mas próspera área de pesquisa continua a sondar a própria natureza da vida microbiana vivendo nas unhas dos enfermeiros. E não apenas as unhas naturais, mas também as artificiais, “As postiças” .

(Crédito: Getty Images)

Cada dedo pode fornecer um lar de centenas de milhares de bactérias (Crédito: Getty Images)

Em 1989, apenas um ano após o estudo da Universidade da Pensilvânia, um grupo de enfermeiros escreveu “, embora questões não respondidas sobre a segurança e a praticidade de unhas artificiais permanecem, muitos profissionais de saúde têm sucumbido às tendências da moda e agora estão usando unhas postiças “.

Os pesquisadores queriam ver se 56 enfermeiros com unhas postiças, que tendem a ter mais de unhas naturais e são quase sempre cobertos de unha polonês, tem mais bactérias em seus dedos que de  56 enfermeiros com unhas naturais. Eles também queriam ver se a lavagem das mãos foi mais ou menos eficaz para aqueles com unhas postiças.

Eles descobriram que os enfermeiros com unhas postiças tiveram mais bactérias em seus dedos do que aqueles com unhas naturais, tanto antes como  após a lavagem das mãos. Isso não quer dizer que eles irão  realmente transferir mais bactérias aos seus pacientes, necessariamente, apenas que as bactérias que vivem em suas pontas dos dedos eram mais numerosos. Ainda assim, o pressuposto é que mais bactérias, aumenta o potencial de transmissão de patógenos.

O temor com as unhas polonês é que minúsculas  rachaduras na pintura poderia abrigar bactérias

Estudos semelhantes publicados em 2000 e 2002 produziu resultados semelhantes. Mas até então, pesquisadores de enfermagem tinha provas de que unhas artificiais também foram associados com práticas de lavar  as mãos com unhas artificiais  , que só serviu para agravar o problema. As unhas artificiais,  foram mais propensos a rasgar luvas descartáveis aumentando ainda mais o risco de contrair bactérias nas unhas .

As unhas naturais, por outro lado, contam uma história diferente. O temor com as unhas  polonês é que minúsculos chips ou rachaduras na pintura poderia abrigar bactérias. Em 1993, enfermeiros de Johns Hopkins Hospital, em Baltimore olhou para as unhas de 26 mulheres adultas que foram utilizar dos serviços do  hospital, mas não envolvidos na assistência ao paciente. Todos tinham unhas curtas, e todos foram avaliados antes e quatro dias depois  com unha polonês foi aplicado.

(Crédito: Getty Images)

Lavar as mãos não é suficiente – você tem que ter certeza as unhas estão limpas também (Crédito: Getty Images)

Unha polonês ou unhas naturais não parecem afetar a  micro-biodiversidade bacteriana, da mesma forma como a polonês, no entanto.”Manter as unhas curtas e limpas, portanto, é provavelmente a maneira mais eficaz  e importante de manter as unhas livres de bactérias e melhor do que usar ou não unha polonês”, os investigadores concluíram . Outro estudo realizado no ano seguinte e chegou a a uma semelhante conclusão.Enquanto unhas feitas a  mais de quatro dias  tiveram mais bactérias, as unhas recém-feitas eram perfeitamente mais  seguro.

Cerca de dois a três milhões de pessoas morrem anualmente de diarreia; é pensar que a lavagem das mãos com sabão pode salvar talvez um milhão deles. E provavelmente pode.Mas, além de lavagem das mãos, o melhor curso de ação parece claro: atenção especial ao compartimento subungueal debaixo de suas unhas quando lavar as mãos, e com o mínimo de bactérias ao alcance hospitaleiro, sempre tente mantê-los curtos e limpos.

Tudo o que deve fazer é  dar uma pausa antes de roer as unhas.





Deixe uma resposta